Resenha 8.77 Igora

posyt877

Olá jedis e padawans ruivas dessa galáxia! Muitas leitoras me perguntam sobre a tinta da Igora, se eu já usei, minha opinião e resultado, também me perguntam qual a cor específica que estava usando em algumas fotos e no vídeo que eu fiz ano retrasado. Como eu não estava mais atualizando o blog, eu não fiz uma resenha apropriada de uma das últimas tintas acobreadas que usei antes de migrar pro chocolate. A tinta é a 8.77 da Igora (loiro claro cobre extra). Já usei a 7.7 (loiro médio acobreado) da mesma marca, mas há muitas resenhas sobre ela na internet, então me sinto mais compelida a falar sobre a 8.77 que muitos querem testar mais tem suas dúvidas.

Essa tinta pra mim foi UM BAGULHO DOIDO, um ESCÂNDALO, um MAR VERMELHO… até a segunda semana e meia que ela desbotou e me decepcionou. Desbota muito rápido mesmo.

P1080905[2]

Sobre a Igora é importante lembrar duas coisas:

1 – o tom acobreado está na numeração 7 e não na 4. Na maioria das outras tintas o acobreado é o 4 e o 7 é marrom. Porém na Igora a leitura é diferente, e isso confundi muitas pessoas. Então: são ruivos os tons 7.7, 8.7,

2 – as tintas da Igora sempre puxam para o ruivo DOURADO, para um ruivo mais acobreado o ideal são as tintas “77” e não somente “7” ou um uso de outro mix

É importante também lembrar que o resultado no cabelo ficou desse jeito pois estava por cima já de um ruivo claro, a 8-77 em cabelo virgem castanho médio/claro ou loiro escuro tenderá a ficar bem mais avermelhada e fechada.

Achei o cheiro da tinta bom, não é forte nem desagradável, também gostei da textura na aplicação. A cor ficou bem vibrante, mas desbotou muito mais rápido do que eu imaginava o que me decepcionou bastante. Eu busquei o 8.77 para o cabelo justamente ficar em um tom mais intenso, até mais puxado mesmo para o vermelho, para não ficar um dourado tão rápido. A cor nas primeiras semanas foi incrível, mas desbotou bem mais rápido do que a 8.4 da yellow

 

 

Berlim pra mim, Berlim: EAST SIDE GALLERY

postberlin

Mais um post da série “Berlim pra mim Berlim” (confira o primeiro post), em que trago impressões, lembranças e fotos minhas dos lugares que mais curti em Berlim. O East side gallery é bem conhecido e obrigatório a visita. Trata-se de uma galeria no muro de Berlim, preservado da da demolição, o lado leste do extenso muro em Mühlenstraß é coberto por trabalhos artísticos de carácter político, formando assim uma galeria ao ar livre.

A galeria consiste de 105 pinturas de artistas de todo o mundo, iniciadas em 1990 no lado leste do muro de Berlim. A East Side Gallery foi fundada após a bem sucedida fusão de duas associações de artistas alemães: a VBK e a BBK. Os membros fundadores foram Bodo Sperling, Barbara Greul Aschanta, Jörg Kubitzki e David Monti É possivelmente que a galeria seja a maior e mais duradoura ao ar livre de todo o mundo (Wikipédia pra que te quero!)

Para chegar lá é só descer na estação de trem e metrô Warschauer Straße. A linha do metrô é a linha U1

Berlin

estação

Para mim a East Side Gallery é a coisa mais legal que tem em Berlim, afinal o muro de Berlim foi e ainda é o maior símbolo da cidade, fosse ele pro bem ou pelo mal, é uma História muito recente, e por isso é muito vivo ainda, e podemos perceber isso ao andar pelas ruas da cidade… Além do East Side e de outros pedaços remanescentes do muro, outra coisa incrível que tem pelas ruas é uma marca onde mostra onde passava o muro. É engraçado e irônico pensar como um ato tão natural hoje – atravessar aquela faixinha no meio da rua – antes era impedido por um muro com uma vigilância brutal de fronteira. Óbvio que hoje o turismo da cidade explora isso ao máximo, outro bom exemplo é o Checkpoint Charlie. Toda loja de souvenir de Berlim tem os “pedacinhos do muro” de lembrança, é risível, mas não deixa de ser uma gracinha, hahaha…Reza a lenda que se juntassem todos os pedacinhos souvenir de muro que são comercializados dava para construir mais de 2 muros! Será? Bom eu não comprei, mas minha amiga Daphne  que comprou e falou “eu sei que é fake, mas deixa eu ser feliz”.

Berliner mauer

Berliner mauer 2

E você também pode deixar sua marca no muro…

Hahahahahahaha, IFCS no muro! História UFRJ! Também deixei um recado para minha prima Luiza.

IFCSMURO

P1060213[3]

auf wiedersehen ;*

Berlim pra mim, Berlim

postberlin

Olá pessoas, hoje vou começar uma nova série aqui no blog dedicada a cidade de Berlim, na Alemanha. Esse será o primeiro post de vários que estou planejando para compartilhar com vocês minhas impressões, recordações e saudades dessa cidade tão interessante, que tive a oportunidade de conhecer em 2010. Esse post será mais geral com uma seleção das minhas fotos preferidas que tirei por lá. Nos próximos capítulos devo trazer coisinhas sobre lugares  específicos que gostei, como alguns os museus, o east side gallery e o mauerpark…

Essa semana meu primo voltou em definitivo para Brasil, motivo de felicidade e de uma tristeza também; felicidade é claro, pois ele volta para assumir o cargo do concurso que passou, e depois de anos é ótimo tê-lo próximo a nós! Tristeza é que  por qual que motivo agora vamos voltar à Berlim? Ano passado ia voltar para Alemanha, uma viagem que não ia ser nada demais, e por isso mesmo ia ser tão gostosa, uma viagem para rever lugares, ia ficar com meu primo em Berlim, e também voltaria a Holanda e Inglaterra, países que gostei demais quando conheci em 2008. Todavia, teve a greve das universidades federais e isso fez com que minha viagem de Natal fosse para o beleléu, agora meu primo está voltando e Berlim ficou para trás :/, não devo voltar mais para lá… Berlim nunca foi uma cidade que eu planejava conhecer, e sinceramente, além da sua história, não nada de muito especial. E talvez isso que faça querer voltar e não querer voltar à Berlim. Minha experiência com essa cidade foi similar a que tive em Londres, embora tivesse passado mais tempo em Londres e gostado mais da capital inglesa. Nas duas vezes viajei para ficar com meu primo, e como fiquei na casa dele pude ter uma experiência de como é morar naquele lugar, e digo sobre Berlim o que sempre falo sobre Londres: É uma cidade para se morar, e não para se passear. A estrutura da cidade é incrível! Para turismo não é charmosa, mas para se morar é uma cidade acolhedora, atraente, divertida, BARATA e um grande centro cosmopolita. É um lugar para se viver, definitivamente.

berlin1

berlin2

Berlim é assim, uma cidade marcada pela sua história, uma história muito recente, e que nos dá uma verdadeira lição de vida. Berlim é cool, não tem outra definição melhor. E para quem gosta de cerveja, como eu, é impossível não gostar de lá, cerveja da melhor qualidade do mundo e baratíssima. Essa é a Berlim, uma cidade que te leva a vários questionamentos filosóficos e embriaguez.

berlin5

Espero que tenham gostado das fotos que separei, nos vemos no próximo post

Auf Wiedersehen!

Summertime pics & playlist

8479236365_f9bf754d9d_c

Bom, daqui a pouco o verão acaba e eu não vejo a hora disso acontecer. Infelizmente (e felizmente) esse ano será mais um daqueles que terei dois verões, pois vou viajar em julho.

Esse é um post sazonal, uma compilação de fotos que tirei e uma seleção de músicas que fiz, músicas boas para o se ouvir nesse calor dantesco do verão, pelo menos ajudam o verão a ficar mais feliz.

E agora a trilha sonora, lista de músicas para de verão:

Frozen Orange Juice – Peter Sarstedt

Baby – OS Mutantes

Hey boy – Os Mutantes

Going Calofornia – Led Zeppelin

Twisting By The Pool – Dire Straits

Swing de Campo Grande – Novos Baianos

Verão do Cometa – Sá e Guarabyra

TFGS Day! (7 on 7): Março

TFGSDAY

Olá, hoje é o primeiro mês de um projeto criado pela Morgana entre os blogs das meninas que participam do The Fairy Garden Society, que é uma comunidade secreta no Livejournal onde compartilhamos diversas coisas lúdicas. .Esse projeto tem como intuito celebrar a data de criação de nossa comunidade, idealizada pela Natália, por isso sempre postando no dia 7 do mês, e também como meio de unir os membros em um projeto.  O projeto funciona como um 7 on 7, mas possibilitar maior participação dos membros, esse padrão não é rígido. Por tanto, cada dia 07 do mês será postado algo relacionado ao tema FANTASIA, pode ser feito por fotos autorais (modelo de projetos de fotografia), um texto também autoral, ou outros materiais que sejam inspirados no tema fantasia, como compartilhamento de gravuras, vídeos,  músicas, poesia, etc. O projeto passa-se em forma de círculo, o que é bem legal, pois assim é possível conferir o que as outras meninas postaram no TFGS Day. :)

A categoria que eu escolhi para o primeiro “TFGS day” foi fotografia, o tema do projeto, como já dito anteriormente, é fantasia.

Para as fotos desse mês resolvi usar a temática de Harry Potter, então tirei algumas fotos do lindo livro Contos de Beedle, o Bardo; do Mapa do Maroto e a carta de Hogwarts :)

7on7março 7on7março[3] 7on7março[5] 7on7março[4] 7on7março[2] 7on7março[7] 7on7março[7]

“Malfeito Feito”

Agora confiram a postagem inspiradora da fadinha Andréa para o TFGS Day :)

Conhecendo o mágico Vale do Loire

20071227

Olá moscas leitores, fiquei bem ausente do blog esse tempo, porque tive prova de concurso e depois veio carnaval e fim de período na faculdade… Finalmente vou tirar esse post do rascunho. Aproveitei a ausência e mudei o layout do blog, o que acharam?

Esse é um post que eu já planejava fazer desde o inicio do blog, afinal pretendia que o “cargo chefe” do blog fossem dicas de viagem baseadas na minha experiência, sempre penso um post para essa categoria, mas como eles geralmente me dão mais trabalho que os outros, fico com uma preguicinha. Mas esse eu não posso deixar passar, porque foi o passeio que eu mais gostei de todos os que eu fiz em minhas viagens.

Se você está planejando uma viagem para a França, não deixe conhecer pelo menos dois châteaux do Vale do Loire! Para fãs de castelos como eu é completamente imperdível visitar essa região.  Nunca ouviu falar? Então corre no google imagens agora e pesquise por “Vallée de Loire” ou “Loire Valley”! Pronto, tenho certeza que você já está completamente apaixonado pelo lugar, ele realmente é onde os contos de fadas se tornam realidade. Então, calma vamos sonhando por etapas… Onde é que fica esse lugar incrível?

loire_valley_map

Eu tinha um livro com várias fotos de castelos ao redor do mundo e pensava que alguns jamais iria conhecer, porque acreditava que os lugares eram bem inacessíveis, que seria um turismo muito caro e exclusivo que eu não poderia pagar… Até que descobri que não!

excursão

Encontrei a minha maneira de poder conhecer o Vale de Loire, simples fácil e barata! Contratei uma excursão. Existem várias excursões para diferentes lugares saindo de Paris, é uma ótima solução para quem vai ficar mais dias na capital francesa, fazer esses passeios para outras regiões. O bom é que eles te pegam no seu hotel (ou você vai  diretamente ao local que sai a excursão), entra no ônibus e não precisa se preocupar com mais nada! Ingressos, onde ir, como chegar, horários, filas, guias… Tudo é providenciado e você pode ficar livre para curtir.

Eu não gosto de turismo de grupo, excursões, pacotes turísticos não fazem meu estilo de viagem. Mas em uma situação dessas é a melhor escolha para quem não tem como ($$$) se hospedar na região e alugar um carro, ou não se sente seguro para se aventuras em acessos difíceis, ou simplesmente para quem não tem muito tempo para isso.

Existem vários tipos de excursões e várias maneiras de contratá-las, você pode já comprá-las a priori, antes de viajar por um site de pacotes turísticos que vendam essas excursões, ou comprar lá mesmo em Paris diretamente, a amiga da minha mãe que viajou conosco contratou uma excursão para os Jardins de Monet por telefone, o recepcionista do hotel que ficamos, muito simpático, ajudou-a a fazer a ligação e contratar a excursão. 
 Eu reservei tudo antes, depois entrei numa noia “será que procede, se é verdade? ai, não recebi ainda o e-mail de confirmação que agonia” *toma vários rivotril*. Mas deu tudo maravilhosamente certo. E indico para vocês o City Discovery (http://www.city-discovery.com/), comprei por lá e foi tudo bem. Gostei muito do serviço deles na excursão, então recomendo bastante. 
Como já disse tem várias excursões diferentes, visitando outros châteaux. Depois de ler aqui o meu post, espero que vocês tenham escolhido os seus preferidos, daí é só procurar por um pacote que se adapte melhor a sua conveniência. 
 A excursão que eu fiz visitou Chenonceau, Cheverny e Chambord, nessa ordem. Eles nos apanharam em nosso hotel com uma van (houve um atrasinho) de manhã, e nos levaram para o local onde sairia o ônibus com o grupo. Lá trocamos nosso voucher (impresso do e-mail que eles mandam quando confirmam o pagamento) para o bilhete. Depois embarcamos, por volta de umas sete e meia. O ônibus era bem confortável, e eles deram uns biscoitinhos e suquinho, nada demais. Passando por lugares históricos e interessantes a guia informava curiosidades. Chegando aos châteaux, dividimo-nos em dois grupos, um grupo com uma visita guiada em inglês e o outro com uma visita guiada em espanhol. Não é preciso se preocupar com nada, logo que chegamos eles nos dão nossos ingressos que dão direito aos châteaux, e os prospectos dos lugares. Houve a parada para o almoço (não incluído  no primeiro castelo mesmo, eu nem não parei para comer, queria ver tudo! Depois comprei um sanduíche mesmo. 
Eu não tenho muita paciência para ficar seguindo guias, ficava perto um pouco ouvia uma curiosidade, mas eu geralmente prefiro pesquisar a priori, para lá no local já saber exatamente o que quero ver e ter tempo para ficar livre e vivenciar a experiencia, passear, curtir, sentir e ver detalhes, brincar! e não ficar seguindo o guia e o grupo de pessoas num estilo excursão a Petrópolis com a escola. Não era preciso também ficar perto dos guias necessariamente, pois na excursão eles lhe dão um audioguia, e com esse audioguia você fica por dentro de tudo que a guia está falando, sem precisar segui-la.

O passeio foi longo, em torno de umas 12 horas e deu para aproveitar bastante, na volta eles deixaram-nos no ponto de encontro (próximo ao Louvre na rua Rivoli), e de lá cada um pegava seu rumo. O serviço de pegar no hotel para essa excursão que contratei era só na ida, na volta eles deixavam no ponto de onde saia a excursão. O que foi bom pra mim que aproveitei e fiz umas comprinhas, depois peguei o metrô pra “casa” e caí na banheira exausta e morta de tanto que andei e me diverti naquele dia. 

Resumindo, o passeio nos levou há 3 châteaux, com visita guiada (que a própria excursão providencia) em inglês e em espanhol, e audioguia. Foi bastante organizado e confortável. Todos os ingressos incluídos, mas com o almoço não incluído.

O PREÇO ERA DE 300 REAIS POR PESSOA (preço em julho de 2010).  O serviço da busca no hotel é opcional, e pago além, se você escolher a opção de encontrar com o grupo já no local que sai o ônibus esse preço ainda sai MAIS barato. Viu como é fácil e não é caro? Agora como fazer uma viagem à França e perder esse lugar mágico?

~ São muitos châteaux estou perdido, qual escolher? ~

Vou primeiro falar dos três que eu conheci, contando minha experiência, depois vou apresentar outros castelos da região que eu infelizmente não pude conhecer, mas que também são populares e muito interessantes. Para o post não ficar mais longo do que já vai ficar vou deixar um leia mais, link para página da Wikipédia que conta a história dos châteaux, não deixem de ler para entender os castelos e poder escolher quais interessam mais a vocês :). Se fosse escrever sobre a história dos châteaux ia ficar enorme aqui, porque eu me empolgo demais quando o assunto é História e Arquitetura.  Além disso também vou deixar o site deles ao final do post.

chenonceau

Leia aqui sobre o château de Chenonceau

collagechenon

A primeira parada da minha excursão foi o mágico castelo de Chenonceau, conhecido como Castelo das Sete Damas. Esse foi o mais charmoso de todos! É como se fosse um corredor sobre um lindo lago, uma torre que parece até desenhada por um faber castel, dois belos jardins, pontezinha, tudo isso inserido em um ambiente de arregalar os olhos, é muito bonito. Dá vontade ser a Catarina de Médici e morar lá.

SAM_0578

cheverny

Leia aqui sobre o château de Cheverny

collagechev

Cheverny é o château do Tintin  um belo palácio, sinceramente não tem tanta graça se você já visitou outros palácios em suas viagens. Especialmente se você foi antes a Versailles. Eu só fui a Versailles depois, mas já havia conhecido outros palácios por aí em outras aventuras. Mas, é bonito, é todo decorado e tem uma atmosfera bem legal.

Mas o legal mesmo de Cheverny foi o lado de fora do palácio, a cidadezinha é linda demais! Então se você for a Cheverny, mais do que lá dentro fique lá fora da propriedade. Sabe a cidade da Bela e a Fera? Então, é lá. Minha mãe logo lembrou da cena e começou a cantar a música que a Bela canta no início do desenho. Realmente você vai querer ficar cantando “Bonjour, bonjour!” que nem uma criança idiota.

Museu do Tintin. O palácio de Cheverny , para quem não sabe inspirou Hergé, na criação do château de Moulinsart :)

Precisa falar mais? Dentro da propriedade de Cheverny tem o museu do Tintin, o ingresso não é incluído na excursão, é pago a parte se você quiser visitar. Eu fiquei impressionada como tudo do Tintin (quadrinhos, demais artigos souvenir) era caro na França.

SAM_0003[2]

chambord

Leia aqui sobre o château de Chambord

collagechanbor

O mais espetacular fica para o final, é de tirar o fôlego. Uma obra prima renascentista! O castelo mais bonito que conheci até agora foi o imponente Chambord. Para fãs de arquitetura é um deleite, um gozo estético.

O telhado lembra o telhado do castelo de “A Bela e a Fera”. As escadarias são interessantíssimas, dizem que Leonardo Da Vinci teria participado do projeto das escadas de Chambord.

SAM_0050[2] SAM_0045[2]

amboise

Leia aqui sobre o château de Amboise

collageam

Para os fãs do Renascimento esse é outro castelo imperdível!

usse

Leia aqui sobre o château de Ussé

collageusse

Com certeza é minha próxima parada no Vale do Loire, logo quando eu puder voltar a França! Esse é o famoso Castelo da Bela Adormecida.

Existem muitos outros, queria eu poder colocar todos aqui no post para vocês, e visitar todos eles. <3

OBS:

A maioria dos châteux tem prospecto em Português PT, o que é bem legal!

As lojinhas desses châteaux costumam ser bem legais. A que eu curti é a de Chenonceau, vale a pena trazer uma lembrança de lá! Desde louças com brasão e emblema de Chenonceau e dos Medicis, até tapeçarias, capas de almofadas, artigos lindos para crianças. Vários tipos de livros sobre Vale do Loire e Renascimento. Eu comprei o meu lá.

www.chenonceau.com; www.cheverny.com.br; www.chambord.org;

http://www.chateau-amboise.com; www.chateaudusse.fr.