Um Natal no Reino Unido

Sweet London :)

Hoje vou contar o meu conto natalino: Em 2008, meu primo Fernando estava morando temporariamente em Londres, trabalhando para um laboratório de lá, e nos convidou para passar o Natal com ele. Foi assim que eu, e metade da minha família foi parar por lá em dezembro. Afinal, Natal não existe sem família, e família que é família nunca deixa de celebrar o Natal junto. Não pelo lado religioso, afinal aqui não somos, mas sim pelo verdadeiro companheirismo que sempre tivemos. Então nos esforçamos para estarmos sempre juntos, sendo em temperaturas negativas ou in a hot sun of the Christmas Day.

eu e a Catedral de St. Paul - London

St. Paul's - London

Minha mãe e eu fomos antes, logo no início do mês de dezembro, já que somos as mais fominhas de aproveitar tudo. Depois chegaram meu outro primo e a namorada em um vôo, e minha madrinha e meu padrinho num outro vôo. Mais tarde nesse dia, todos nós nos encontramos para tomar uma pint. Foi bom que minha mãe e eu pudemos bancar as guia turísticas para o resto da parentada que chegou depois :)

Família em Londres

London Christmas :)

Mas o Natal mesmo não passamos em Londres, fizemos uma viagem para Escócia. Para o nosso feriado, alugamos um apartamento em Edimburgo, grande o suficiente para cabermos, confortavelmente, todos nós! Chegamos de manhã cedinho dia 24 e fomos embora dia 26 de noite. Foi pouquinho tempo, mas deu para curtir Edimburgo.

E foi a melhor véspera de Natal de todas! De tarde conhecemos o fantástico Castelo de Edimburgo (depois farei um posts sobre Edimburgo e um só sobre o castelo)

Véspera de Natal no Castelo de Edimburgo

Já depois de escurecer tivemos nosso momento tradicional, assistimos a uma missa natalina na Catedral de St. Giles, foi mágico, não só pela particularidade da beleza bruta da catedral, mas por toda a magia do lugar, sem dúvidas a Escócia é um local mágico, parece parado no tempo. E além disso teve “Silent Night” cantando em gaélico escocês, minha musica natalina preferida em uma versão belíssima, foi realmente um momento emocionante. Mas, não assistimos a missa até o final porque “já deu, né?”.

St. Giles - Edimburgo

Chegamos em casa para fazer nossa ceia, quando nos demos conta que não tínhamos uma árvore de Natal, meu primo inconformado com a situação “não existe Natal sem árvore”, fez o que qualquer pessoa sensata faria, foi lá na rua pegar “emprestado” uma arvorezinha de alguém. Meu primo foi e voltou com uma plantinha da entrada do prédio vizinho, decoramos com o único enfeite que tínhamos comprado. Na noite do dia seguinte meu primo foi lá  devolver a arvorezinha :) (leia-se um homem vestido de kilt correndo com um vaso de planta na mão, depois correndo de volta)

gaelic christmas treeCeia de Natal - Edimburgo

No dia 25 mesmo todos saíram de tarde, mas eu fiquei morgando em casa, aproveitando banho quentinho na banheira e assistindo os dvds do anime Lain que tinham por lá, hahahaha. Dia 26, devidamente descaçada  aproveitei o máximo que pude da velha Edimburgo antes de voltarmos para a Inglaterra.

Noite de Natal - Edimburgo

Não nevou, deveria ter nevado! Fomos pra Escócia para aumentarmos a chances de nevar na noite e manhã de Natal e pasmem, Edimburgo estava até mais quentinha do que estava Londres.

E para finalizar meu post “Um Natal no Reino Unido” vou deixar a foto mais natalina de todas daquele mês de dezembro, só que não foi no Reino Unido! Logo no fim de semana que chegamos fizemos uma viagem para Amsterdam na Holanda, aquele clima congelante, pista de patinação e aquelas casinhas às margens dos canais que mais parecia uma cidade de brinquedinho de montar de madeira, quer um clima mais Natalino que esse? Só se fosse na Suíça!

Amsterdam, Holanda

Procurei para vocês Silent Night (Noite Feliz) em gaélico escocês no youtube, mas só achei versões em irlandês (que é a Oíche Chiúin) . Se vocês quiserem ouvir a versão escocesa  procurem por Oidhche Shàmhach, mas pelo visto não é tão fácil de achar, to pesquisando aqui no google e ainda não encontrei para ouvir :(

Então vou deixá-los com a versão em inglês mesmo, mas uma versão bem esperta do Cash Show, com o casal Cash e seus amigos, para dar uma variada das versões do Bing Crosby e do Frank Sinatra. Feliz Natal para todos!

 

Anúncios

London Calling: Clapham Junction e Battersea

 Quando viajei para Londres em dezembro de 2008 fiquei hospedada na casa do meu primo (que agora mora em Berlim) no bairro de Clapham Junction. Nunca tinha ouvido falar nesse bairro e foi amor a primeira vista.

casa do meu primo

(casa do meu primo)

ONDE FICA?

Do aeroporto fomos para lá, primeiro pegamos um ônibus até a estação ferroviária de Feltham e de lá o trem que nos deixou em Clapham Junction , quando saí da estação e comecei a caminhar pela St. John’s Hill, Lavender Hill, St John’s road e Northcote road, sentia muito frio, porque não estava devidamente agasalhada, então andava em passos largos com minha pesada mais mala vinho, batendo os dentes e quase correndo… Porém, não deixei de sentir o cheiro daquele local, minha primeira visão de Londres! O clima natalino imperava forte, a decoração nas lojas, nas árvores, nos pubs, o cheiro de flores, pinheiro e frio.

Todo dia que saía de casa era assim: aquele cheiro peculiar de Clapham Junction, perfume de flores, cipreste, misturado com o gélido ar e um leve tempero de comida indiana. Na rua via-se muitas mulheres com carrinhos de bebê, engraçado que vi bem pouco no resto da cidade, mas ali parecia ser 50% das pessoas na rua: Mulheres com carrinho de bebês fazendo compras. Na Northcote rd tinha uma feira, aquele aroma de flores não vinha do nada! Todos compravam suas árvores naturais de Natal. Com um ótimo comercio de rua com boas lojas e mercados, além de vários pubs e bares. Adorava beber minha pint no Falcon!

(essa foto gracinha eu tirei com zoom da janela da casa do meu primo)

Lá não tem metrô, somente trem. Além das linhas de ônibus. E obviamente isso não é um problema, Clapham Junction está próximo de tudo, com fácil integração. Fica a duas estações de da grande estação de London Victoria, e também da estação de Waterloo.

Pertinho de Clapham Junction temos Battersea, e o que tem de legal em Battersea? Bem se você é um fã de música não tem como deixar de ver a Battersea Power Station. Por quê? Não, não é uma fábrica qualquer

Reconhecem?

O mágico é que eu via a Battersea Power Station todos os dias nas rapidérrimas viagens de trem de Clapham Junction à Victoria, via pela janela do trem, a estação Battersea Park é antes de chegar em Clapham Junction, vindo de Victoria. Lá de Battersea Park podemos ver a “fábrica do Pink Floyd”. Para um grande fã da banda inglesa como eu, vê-la surgir no habitual caminho de trem diário, é uma experiência mágica.

O gostoso de ter ficado em Clapham Junction foi justamente a magia do cotidiano, é estar em um bairro residencial, não turístico, mas mesmo assim perto de todas as coisas legais da cidade. O Natal foi muito mais Natal, e sempre vou lembrar do Quarteirão do Mc Donald de lá que era o mais gostoso de todos os lugares que comi! E de comprar aquelas compotas de morango maravilhosas no mercado Summerfield voltando para casa, e tomar uma pint no Falcon. Estabeleci uma rotina agradável com o bairro. Até hoje lembro muito bem daquele cheiro, do frio que fazia o vento encanado nas esquinas das ruas.